“O único tirano que aceito neste mundo é a voz interior, suave e serena.” O monólogo “Gandhi, um líder servidor” foi originalmente concebido para apresentação no FORUM LIDER RH realizado em São Paulo em junho/2003. A opção por esse personagem revela o crescente movimento, não do ambiente corporativo, mas da sociedade em geral, pela introdução de princípios ético-filosóficos nas relações humanas.

Nas empresas, essa demanda se traduz em profundas mudanças de paradigmas. No caso da liderança, tema central daquele encontro e uma das questões mais debatidas nas áreas de administração e marketing, aos poucos, pode-se perceber um deslocamento de foco. Antes, as organizações enxergavam apenas resultados tangíveis, não importando o que tivesse que se feito para alcançá-los. Gradualmente, voltam a visão para a qualidade dos “recursos humanos” envolvidos, sabendo que os resultados virão inevitavelmente. O objetivo agora é fazer apresentações não só em empresas, mas em todo tipo de instituições, principalmente em escolas, procurando sempre ambientes que permitam um intenso intercâmbio de sensações entre ator e público, de forma a marcar a platéia pela experiência.

ATOR

O monólogo ganha peso com a consistente interpretação de João Signorelli. O ator convence e emociona. Sua atuação impecável envolve a platéia durante os 50 minutos e apresentação, estabelecendo uma vibrante troca com o expectador.

Trabalhando há mais de 20 anos como ator profissional, João Signorelli, também jornalista e apresentador, já atuaram em diversas novelas, cinema e teatro. Gandhi anuncia o início de mais um jejum para despertar a consciência dos líderes do Ocidente e do Oriente para a paz mundial.

O jejum que ele propõe é que os povos deixem de se alimentar com pensamentos desequilibrados, preconceitos e sentimentos sombrios. Convida a platéia a fazer uma longa e sensível reflexão sobre a liderança, a não-violência e introduz princípios ético-filosóficos nas relações humanas, falando sobre liderança, integração, cooperativismo e amor.

Para o Mahatma não havia diferença entre esse ou aquele: TODOS são seres humanos (e espirituais) buscando experiências terrenas para alcançar nova consciência e evoluir com mais rapidez. Ao final fala sobre sua trajetória como líder, sobre a importância da conduta única e invoca a fé. “Só o amor cura, nutre, une, entusiasma, faz nascer, alivia, materializa, motiva... possibilita a vida!”

Mahatma Gandhi


(18/10), deu uma entrevista entre as de maiores repercussão em 2007 e em 20/12/2007, já contratado pela Deckdis c, gravou Dualdisc no Teatro de Santa Isabel em Recife.